sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

UM DIA DE PAZ E SOL

Bendito seja o dia que acontece
Na minha casa e na minha vida
Ele é o suor dessa gostosa lida
A fé que reafirma a minha prece.

Nele o sol tem uma cor vermelha
E azul do céu é límpido e cristalino
Como o olhar medroso de um menino
Que acompanha o vôo de uma abelha.

Assim, eu vejo a noite se achegando
E, mansamente, a vejo expulsando
O sol que ilumina a terna alegria.

Por isso, num pedaço de papel.
Escrevo: Obrigado, Pai do Céu
Por dar-me, de presente, este dia.

Amaro Vaz  - Carangola, 17 de setembro de 2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário